Arquivos do Blog

E pode me chamar de radical

E pra começar:

Não sou contra só o Acquario, sou contra toda essa política de turismo no Ceará.

E sou frontalmente contrária à construção de megaequipamentos na minha praia. Qualquer um deles em qualquer uma delas.

Indo à raiz da questão chegaremos à obvia conclusão de que falta política pública para o Turismo no Ceará, falta planejamento de longo prazo. Isso deixa o Estado vulnerável a projetos estapafúrdios e a gestores ineptos e comprometidos com um modelo de desenvolvimento que não distribui renda, pelo contrário, só aumenta a disparidade econômica no Ceará. As obras de tais governos viram vitrine em campanha eleitoral.

O governo do Ceará não é marketeiro é maqueteiro.

Mas voltemos ao assunto, deixemos os trocadilhos infames, o tipo de turismo feito não só no litoral cearense mas em todo o litoral nordestino tem contribuido para a prostituição, para o afevelamento de comunidades de pescadores, para a privatização de nossas praias. Estão se abancando, como dizemos aqui na terra de Raquel, chegaram pedindo água e agora são os donos do pote.

Boa parte do litoral está completamente sem identidade, sem raiz. Fake. Vendido, prostituído. E prostituição não é só do corpo.

O turismo predatório atingiu em cheio a nossa costa. De uma ponta outra.  Nossa fabulosa beleza atraiu olhos gananciosos que – sob as benesses do governo – se instalaram e comeram nossas praias. Comeram no sentido sexual, também.

Pra usar uma linguagem mais política, para não dizerem que só falo de sexo:

Os colonizadores voltaram ao Brasil e o ouro agora é  nossa natureza, nosso mar.  A arma agora é o euro.  Quase todo o litoral cearense está tomado ou está em vias de ser tomado por essa industria do turismo. Sem xenofobia, pois que dinheiro não tem pátria, os estrangeiros nos tragaram. Eles tem feito da nossa terra, um quintal para deleite dos ricos de seus países e de nós as suas mucamas. Quem antes tinha sua terra para plantar e o mar para pescar, hoje são serviçais. Quando muito.

Aqui no Ceará várias comunidades litorâneas sofrem pelo turismo predatório cuja base é a especulação imobiliária, as empreiteiras e os agentes do turismo sexual. Sucessivos governos investem em vultosas verbas nesse modelo que só favorece a industria do turismo.

A concepção Tasso-Cidista de desenvolvimento no Ceará baseado na industrialização se mostrou fracassada e só melhorou a vida de grandes empresários de todos os ramos da economia cearense, na industria do turismo só favoreceu empresários da construção civil, dos resorts, dos especuladores imobiliários, dos investidores estrangeiros, enquanto o número de miseráveis só aumentou. O Ceará é um dos estados campeoes em disparidade social. Uma das economia mais concentradoras do planeta. Podem colocar na conta dos modernos gestores e seu fabuloso modelo de desenvolvimento econômico. Modernidade pra eles é isso. Mostrar índice de extrema pobreza é coisa de gente retrógrada.

O governo ao ofertar beneficios para que esses grandes resorts se instalem é feito aqueles pais escrotos que entregam suas filhas pros machos estrangeiros por uns trocados, muito comum no nosso estado.

Não vejo diferença entre a prostituição de Canoa e a prostituição que o governo fez e faz com nosso estado.

E para provar a letal aliança entre política e economia, há outros modelos de turismo exitosos no mundo e até aqui no Ceará que é referência internacional em turismo comunitário. Mas não há investimento porque estes não financiam campanha, esse tipo de turismo não é ‘montado no cimento’. isso não vira ícone de marketeiro nas eleições. Sem falar da potencialidade do turismo rural, da serra, do sertão, que são totalmente ignorados pelo turismo cafetão.

Indo à raiz, a conclusao a que chego sobre o acquario é a de que a obra é um completo desvario de um gestor de mente colonizada que ao se propor moderno revela todo o seu provincianismo e total desconhecimento do que é tendência hoje em termos de turismo.

Turista nenhum quer vir aqui pra se sentir em las vegas, miami. Turista de verdade que vem aqui quer ver é nossa cultura, nossa natureza. Quer ver o que somos, quer ter relação de troca, nao quer nos usurpar. Não nivelemos o turista que queremos pelo poder aquisitivo, não tem nada mais cafona, governador.

O chique é ser simples. O chique é o turismo aliado com cultura, com história. O chique é preparar a cidade primeiro para os que nela moram. O chique é mostrar para os que nos visitam uma cidade limpa, arborizada, com patrimonios e equipamentos culturais bem cuidados. É ter uma cidade segura. É aumentar o índice de escolaridade é aniquilar o analfabetismo. O chique é ter um povo feliz, saudável. O chique é ter uma cidade mais que bela, justa.

E digaí que esse tipo de turismo que é tendẽncia mundial gera uma economia estupenda! Só que mais distribuida.

Existem quase trezentos acquarios espalhados pelo mundo, mas só existe um Ceará. Isso não é só bairrismo é marketing.

Não é só acquario é a falta de política de turismo responsável, justo. É de  como o Ceará está sendo prostituido e o cafetão é o governo.

E pode me chamar de radical. Ser radical é ir à raiz.

 

Pós texto: Criei um Storify que dá uma ideia do que está acontecendo no nosso litoral. Clique aqui

Anúncios

United States of Acquario

Falta de política Pública para o Turismo no Ceará e falta de planejamento de longo prazo deixam o Estado vulnerável a projetos estapafúrdios e a gestores ineptos e comprometidos com um modelo de desenvolvimento que não distribui renda, pelo contrário, só aumenta a disparidade econômica no Ceará.

O turismo é uma atividade econômica como outra qualquer, portanto ela não é neutra. Aqui no Ceará várias comunidades sofrem pelo turismo predatório grande aliado da especulação imobiliária, das empreiteiras e do turismo sexual que vem sendo aplicado em sucessivos governos que  investem em  modelos que só favorecem à industria do turismo. A concepção Tasso-Cidista de desenvolvimento no Ceará baseado na industrialização se mostrou fracassada e só melhorou a vida de grandes empresários, o número de miseráveis só aumentou. Há outros modelos de turismo exitosos no mundo e até aqui no Ceará que é referência internacional em turismo comunitário. Mas não há investimento porque estes não financiam campanha, esse tipo de turismo não é ‘montada no cimento’.

Abaixo as três partes da discussão ocorrida no programa Grande Debate da Tv O povo  no dia 05 de março.

Por fim, o contraponto ao que foi discutido no debate e a óbvia conclusão de que a obra é um completo desvario de um gestor de mente colonizada que ao se propor moderno revela todo o seu provincianismo.

Das conclusões:

1. Depois do Renato Roseno questionar a falta de transparência o governo disponibilizou o EIA/RIMA, dia 08 de março.

2. Nem o  Secretário Bismarck Maia tem segurança ou completo conhecimento da obra, precisa trazer o arquiteto responsável, o Sr.  Leonardo Fontenelle –  principal interessado –  a tira-colo como escudeiro, suporte psicólogico e porta-voz.

3. O alardeado aval científico é um grande engodo. A representante do Labomar afirma que não há convênio firmado com a universidade, veja no video parte 2.

4. A prefeitura Municipal de Fortaleza corrobora com o projeto.

5. Inúmeras lacunas do projeto deixam a sociedade insegura e a sensação de que estamos assinando um cheque em branco no valor de R$ 250 milhoes de reais;

6. No video o Secretário afirma peremptoriamente que a Comunidade do Poço da Draga não será atingida. No entanto em matéria de jornal recente assume que a área do entorno será desapropriada em dois anos para construir o estacionamento que não foi previsto na fantasiosa obra. O  fato é que o Acquario não cabe naquele local ou como bem falou o arquiteto Jose Sales ‘é um peru num pires’.

Fonte Diario do Nordeste

7. O banco que vai emprestar o dinheiro é americano como americana é a empresa que foi escolhida (sem licitação) para fazer a obra. Ou seja estamos contribuindo para o PIB americano. Veja o que diz o Secretário de Turismo Bismarck Maia sobre o banco:

Fonte Diario do Nordeste

A INEXIGIBILIDADE, modalidade escolhida para eliminar a licitação do Acquario se deve, portanto, a uma exigência do próprio banco e não como mente o governo ao afirmar que é por ‘notória especialidade’. O governo está fazendo um negócio muito bom: pros americanos.

Videos do debate

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Ainda querem que a gente acredite?

Somos contra o Acquario por entender que não houve estudo de demanda, nem houve demanda do setor turistico e nem tampouco da comunidade, dos artistas, dos moradores da Praia e da cidade como um todo. É uma obra megalomaníaca nascida da mente colonializada de um governador que não entende o que é prioridade e que apenas quer tornar essa obra uma peça eleitoreira.
Questionamos firmemente a falta de transparência e a escassez de dados técnicos que justifiquem uma obra de R$ 250 milhoes de reais e que provocará endividamento público. Questionamos a dispensa de licitação e solicitamos ao Ministério pública a imediata investigação de negócio escuso.

O movimento ‘Quem dera ser um peixe’ está se mobilizando em várias redes:

Twitter: @peixuxaacquario

Página do Facebook: https://www.facebook.com/contraoaquario

Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=100003557503411

S.O.S Praia de Iracema

Depois de anos entregue ao descaso, os gestores de nossa cidade resolveram fazer intervenções na Praia de Iracema que estão contrariando os moradores, os frequentadores e todos que usufruem de sua paisagem: surfistas, skatistas e amantes da P.I – como é carinhosamente chamada – estão se reunindo para tentar barrar o aterramento.

Aqui, de braços dados, todos se juntam em defesa da Praia de Iracema:

E aqui, o registro do local onde o governo do estado pretende implementar o mostrengo Acquario que não dialoga nem com as raizes, nem com a paisagem, nem com a natureza e nem muito menos com o anseios dos frequentadores e moradores da Praia.


Estamos nos organizando, juntando nossas causas em defesa da Praia de Iracema e de uma qualificação que valorize as nossas raízes.

Parecer técnico do Acquario

Digo melhor, parecer pseudo técnico. O relatório feito pela Secretaria de Meio Ambiente eivado de subjetividades e ufanismo declarado, nos deixa desconfiados quanto a isenção da análise do EIA/RIMA. Não raro nos deparamos no decorrer do texto com adjetivos elogiosos à obra de Cid Gomes. Me pergunto sobre a idoneidade desse relatório.

Essa é a impressão de leiga, pois penso que o Conselho Estadual do Meio Ambiente (Coema), órgão encarregado de analisar o parecer técnico da SEMACE – Secretaria de Meio Ambiente do Ceará e emitir a licença prévia para a construção de uma obra que impactará sobremaneira a vida humana e a biodiversidade, deveria ter o minimo de imparcialidade e senso objetivo.

Enviamos esse relatório ao Professor Jeovah Meireles, que emitirá suas conclusões sobre o referido  relatório.

O eslaide abaixo é o parecer pseudotécnico. O eslaide em seguida é o resumo executivo do EIA/RIMA, na íntegra. Ambos poderão ser baixados.

EIA/RIMA – Estudo dos Impactos Ambientais é um instrumento que é usado como base para emitir o parecer técnico que autoriza a emissão de licença para construção.

Se vocẽ questiona as obra faraônica e autoritária Acquario do Ceará, entre na nossa página e indique aos amigos: Quem dera ser um peixe

Se sentir vontade, comente.